quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Nem sempre é fácil...


Hoje não vim falar especificamente do Egito, mas da condição em se morar aqui ou em qualquer outro lugar, longe da família, longe da terra natal. Vocês que me acompanham
pelo blog ou lá pela nossa página no Facebook, sabem bem que eu amo tudo aqui, morar aqui, estar aqui, mas como escrevi no próprio título desse post, nem sempre é fácil.
Bem, infelizmente meu pai se foi há quase dois meses, em um dia comum, de repente, sem aviso prévio. Eu havia falado com ele no período da tarde (manhã no Brasil), via câmera, como fazia quase todos os dias e então, no início da noite (de tarde no Brasil), minha irmã me telefonou com a notícia mais triste da minha vida. Ele havia partido, teve uma parada respiratória.
Meu chão desapareceu, e me dei conta de que não haveria despedida, não o veria para um último beijo, um último adeus. Não daria tempo de chegar no Brasil.
Tive que ser forte (e não fui - impossível ser forte numa hora dessas), lutar contra vários sentimentos, não só da perda dele mas também o fato de não poder estar com minha família nessa hora, não poder consolar e ser consolada, não poder fazer absolutamente nada, além de sentar e chorar com um oceano de distância.
O carinho, compreensão e apoio do meu marido, da família dele e dos amigos, o compartilhar da dor com minha mãe e irmã acalentaram o coração e então você percebe que independente da distância, independente de onde você esteja, o luto é o mesmo (assim como a alegria quando algo bom acontece com um ente querido seja longe ou perto) e por mais difícil que pareça e é, a vida segue sem esperar a gente se levantar.
O impacto de estar longe em uma situação dessas foi gigantesco, me derrubou num único golpe certeiro, mas então a gente se acalma, pensa, reflete e percebe que nada seria diferente caso eu estivesse por perto. A vida é um sopro; ela segue, eu sigo, sempre e ainda com mais certeza de que a única coisa que deixamos e levamos é o amor...
Os posts voltam aos poucos, sei que não atualizei como de costume o nosso blog por esses 2 meses, mas eu realmente não tinha condições psicológicas para tal. Mas agora estou de volta e lá vem mais uma aulinha de árabe para vocês no próximo post.

Obrigada a todos que acompanham meu trabalho e à todas as mensagens que recebi pela página do Facebook.
Meu carinho a todos vocês.
Chrys

2 comentários:

  1. Nossa Chrystian, primeiramente gostaria de desejar um forte abraço para acalmar sua dor. Meus sentimentos pelo falecimento de seu pai. E sentimos muito sua falta. Essas aulas são muito especiais. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Filha de onde está, continua olhando por nós com todo Amor e Carinho confio, a vida segue e ele nos segue.

    ResponderExcluir

Comente e deixe também a sua sugestão para novos posts. O que você gostaria de ler?

Fique mais um pouco e leia também: