quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

O dia a dia quando se mora no Egito...Parte III (final)


E chegamos ao fim dos artigos sobre morar no Egito, falando sobre se virar nos 30.
Não dá mais para viver como se fosse turista, frequentar apenas pontos turísticos ou ter
um guia/amigos/marido ao seu lado por 24 horas, né? Chegou a hora de fazer as coisas habituais, fazer pesquisa de preços, pechinchar, entrar em lojas de roupas e pedir seu número e cor preferida...e ai, como é fazer tudo isso? Um fiasco, muitas vezes, principalmente no início! rsrsrsrsrs
Primeiro tem o sotaque que dificulta bastante o entendimento deles, depois tem as trocas de palavras; sim, confundir/trocar palavras é meu forte. Já pedi um determinado vegetal e acabei trocando a palavra por um palavrão!!! Acontece! - rsrsrsrs. Depois dessa acabei optando por hipermercados, onde vou lá e pego direto o que preciso; mas não tem jeito, as vezes tenho que ir aos mercadinhos de bairro, estilo  aquelas vendinhas antigas ai no Brasil. O estabelecimento tem de tudo um pouco e tudo atrás do balcão e tenho mesmo que pedir os produtos ao vendedor. A solução é consultar a listinha, assim não corro mais o risco de pagar aquele mico.
Comprar roupas, mais especificamente calças, meu número ai no Brasil é 40, aqui no Egito...30/31! Olha que beleza, a gente vem pra cá e emagrece!!! Como descobri isso? Fui à loja e pedi logo uma calça jeans 40 e a moça arregalou os olhos e disse "La'aaaa" (nãoooo). Fiquei olhando para a cara dela com a famosa "poker face" e então ela me trouxe uma calça nº30 e a danada de nº40...era gigannnte! E me perguntou porquê eu queria uma calça tão grande. Bom, eu não sabia responder em árabe na época e só consegui rir mesmo e ir provar a calça 30. Bingo, amei, nunca mais pensei em dieta (não que eu pense mesmo 😋).
Outro mico grande foi quando vi uma propaganda na tv. É muito comum as embalagens em saches, de vários tipos de produtos, desde shampoo, sabonetes líquidos e por ai vai. Vi a propaganda e logo pensei alto no meio da família toda: "Nossa, propaganda de preservativo!" Era perfume! Haja piada por vários dias...aiai, abafa o caso.


Uma coisa primordial foi aprender os números da maneira que escrevem aqui, para quem não sabe, os números usados no Egito são os números indianos, isso mesmo, indianos. Os números que conhecemos e usamos no Brasil e na maior parte do mundo é que são os números árabes, criados pelos árabes! A curiosidade fica por conta de que a grande maioria dos árabes não quiseram mudar a maneira de escreve os números por acharem que a nova maneira (a qual conhecemos) era algo vindo da América e não algo criado por eles próprios, centenas de anos atrás. Bem, voltando aos números, tive que aprender e decorar bem rapidinho, questão de sobrevivência e poder de barganha. Quanto as letras em árabe, sim é muito difícil, mas a gente chega lá. Continuo aprendendo até hoje, o bom é que muitas coisas tem a escrita em letras árabes e ocidentais ao mesmo tempo, então basta que se saiba a pronúncia em árabe para conseguir ler a maioria das coisas...com exceção de alguns restaurantes onde o cardápio está unicamente em árabe, dai, tenha o nome de seus pratos favoritos em mente e peça diretamente ao garçom. Melhor ir de algo que você come sempre do que arriscar um "uni duni tê" e acabar não comendo nada, né?


Mas tudo se ajeita, a gente acostuma e aprende rápido e quando vai ver já está levando a vida normalmente. Viver em outro país não é fácil, mas também não é difícil como se imagina e muitas vezes, como no meu caso, acabamos por perceber que na verdade, pertencemos mesmo ao país em que escolhemos viver e não ao nosso país natal. O Brasil é parte de mim, sinto saudades de muitas coisas, principalmente pessoas, mas hoje digo com todo o amor do mundo, que amo demais viver no Egito e por mais que muitas vezes a saudade aperte, porque aperta mesmo (da família é constante); não, não trocaria ou gostaria de morar em nenhum outro lugar do mundo que não aqui. 🔺🔺🔺
Muitas coisas não foram mencionadas nesses 3 artigos sobre morar no Egito, mas acredito ter passado, pelo menos, um pouquinho da vivência em terras faraônicas. Mesmo porque, se escrever tudo, acaba virando um livro, né? Quem sabe um dia...

Salam, pessoal.

Perdeu as partes I e II deste artigo? Não tem problema, clique abaixo nos links correspondentes:

3 comentários:

  1. Boa tarde, eu amei todas os comentarios sobre o Egito, eu sou artista plastica e gostaria de saber se no Egito as pessoas gostam de fazer artes, se tem lojas de artesanato, se vende tintas para pinturas em tecidos, quadros, vidros enfim se tem cursos de artes, como é o mundo das artes plasticas no Egito??Grata pela atençao e aguardo resposta!! bjs

    ResponderExcluir

Comente e deixe também a sua sugestão para novos posts. O que você gostaria de ler?

Fique mais um pouco e leia também: